POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

CORPO DE BOMBEIROS

13º GRUPAMENTO DE INCÊNDIO
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP

  1. Histórico
  2. Área de Atendimento
  3. Serviços Executados
  4. Prevenção Contra Incêndios
  5. Combate a Incêndios
  6. Salvamentos
  7. Resgate de Acidentados
  8. Outros Serviços de Bombeiro
  9. Bombeiros Voluntários
  10. Programa Bombeiro nas Escolas
  11. Análise de Processos de Proteção Contra Incêndios
  12. Normas mais Frequentemente Utilizadas
  13. Vistorias
  14. Fiscalização
  15. Atividades de Lazer e Integração com a Comunidade
  16. Organizações e Links relacionados
  17. Estatisticas
  18. Telefones úteis
  19. Mensagens
  20. Elaboração de Normas e Instruções Técnicas
  21. Consultas, Sugestões, Denúncias
  22. Grandes Incêndios

1 - Histórico

No início do século, os serviços de Bombeiro eram realizados pela Segunda Companhia Independente da FORÇA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO, que era responsável pela segurança da área de Pindorama até as margens do Rio Grande.

O Capitão Augusto Ferreira Machado comandava o efetivo de um 2º Tenente e mais 600 Praças, sendo que não havia nenhum equipamento ou treinamento adequados para serviços de Bombeiro, destacando - se a bravura dos componentes ao extinguirem incêndios.

Certo dia em 1950, um assombroso incêndio devorava um hotel à Rua Bernadino de Campos e a Segunda Companhia Independente foi acionada. Com os homens que serviam na Sede e mais o Destacamento Policial, desceram desenfreadamente rumo ao hotel e com a ajuda de civis munidos de baldes, bacias e mangueiras de jardim, aliados à muita raça e coragem, conseguiram debelar o sinistro, impedindo a propagação e o mais importante, não houve vítimas. Devido a este fato, o Comandante da Segunda Companhia Independente foi até o Prefeito Municipal, solicitar reforço de uma viatura Auto-Bomba; porém o mesmo alegou escassez de recursos.

No ano de 1956, o Ten Cel Armínio de Melo Gaia Filho, ex-comandante da Segunda Companhia Independente, estava em São Paulo onde funcionava o Comando do Corpo de Bombeiros da Capital, juntamente com o 1º Ten Godoy, Chefe da Seção de Material, convidaram o Prefeito Municipal de São José do Rio Preto para ir com urgência a São Paulo, para discutirem a criação do Destacamento de Bombeiro naquela cidade.

Após a visita do Prefeito, ficou acertado que seria enviada ao município, uma viatura Auto Bomba (adquirida dos E.U.A.) que estava com 3.000 Km rodados e totalmente equipada. Foram selecionados 10 homens que ficaram sob o comando do então Sargento José Lopes de Carvalho, até 1971 (sendo assim o primeiro Comandante daquele Destacamento de Bombeiro). O Prefeito Andaló, em um domingo de 1956, preparou um palanque na Praça Rui Barbosa, local muito movimentado no centro da cidade, para receber a viatura que conduzida pelo então 2º Ten e guarnição, e exibiu a novidade aos presentes.

Godoy De volta a São Paulo, o 1º Ten Godoy, autorizado pelo Prefeito Andaló, providenciou a importação de mais uma viatura Auto-Bomba, através da empresa Mat Incêndio no Rio de Janeiro.

O antigo Destacamento de Bombeiros de São José do Rio Preto, fundado em 27 de fevereiro de 1956, passou a ser denominado Sub Grupamento de Incêndio em dezembro de 1975, pertencente ao 9º Grupamento de Incêndio, sediado em Ribeirão Preto.

Em 5 de julho de 1989, se tornou a sede do 13º Grupamento de Incêndio pelo Decreto Estadual nº 29.911 de 12 de maio de 1989, na 8ª Região Administrativa, sendo hoje um dos 16 Grupamentos de Incêndio, que juntamente com mais 3 Grupamentos de Busca e Salvamento executam as atividades de Bombeiro no Estado de São Paulo.

Atualmente, O Corpo de Bombeiros é uma das especializações da Polícia Militar do Estado de São Paulo, assim como o Policiamento Rodoviário, de Trânsito, Florestal e de Mananciais, Policiamento Preventivo, Feminino, Operações Especiais, de Choque e outros.

2 - Área de Atendimento

O 13º GI atende a uma área de 27666 Km2, na região noroeste do Estado de São Paulo que engloba 98 municípios, com população de 1.251.599 habitantes. A distância maior de atendimento é aproximadamente 140 Km. A região destaca-se nas atividades de comércio, agricultura e indústria, tendo grande projeção no MERCO SUL.

3 - Serviços Executados

Através de convênio entre Estado e Municípios sedes de Postos de Bombeiro, são realizados os seguintes serviços: Quatro atividades em destaque são o Resgate, o Programa Bombeiro nas Escolas, os Bombeiros Voluntários e a Fiscalização de Edificações.

4 - Prevenção Contra Incêndios

A prevenção é realizada por intermédio de cursos e palestras, orientação de Processos de Proteção Contra Incêndios, vistorias e fiscalização. A proposta é evitar o surgimento de incêndios pela conscientização e pela instalação de equipamentos e sistemas de segurança. São de vital importância, a detecção no início, o alerta, as rotas de fuga adequadas, com luminação de emergência, garantia de ventilação, proteção contra o calor as características construtivas da edificação com vistas a evitar a propagação horizontal e vertical, o controle dos materiais com vistas à combustibilidade e liberação de gases tóxicos (embora ainda não haja legislação específica), equipamentos de combate e treinamento dos ocupantes para operar os sistemas e realizar abandono seguro.
A legislação municipal exige que todas as edificações que aprovem projeto no Corpo de Bombeiros, tenham Pessoal Treinado no uso dos equipamentos e em técnicas de Primeiros Socorros.

5 - Combate a Incêndios

O combate a incêndios, por parte do serviço público, ocorre quando as medidas de prevenção falham e os ocupantes da edificação não conseguem extinguí-lo. Na ocorrência, as fases são desenvolvidas na seguinte ordem: As atividades de ventilação e proteção de salvados podem ocorrer juntamente com qualquer uma das fases mencionadas.

Observações Úteis

Estes cuidados salvam vidas !

6 - Salvamentos

A variedade de atendimentos é muito grande, por exemplo: afogamentos, quedas em poços, pessoas presas em elevadores, acidentes com mecanismos (prensas, moendas, etc), acidentes em balancins desabamentos, soterramentos, explosões e muitas outras mais.

7 - Resgate de Acidentados

Com o emprego de viaturas apropriadas e treinamento especializado, busca-se a manutenção das condições básicas de vida, evitando o estado de choque, contendo hemorragias, imobilizando fraturas, fazendo desobstrução e ventilação das vias aéreas, evitando infecções, parada cardíaca e conduzindo até socorro médico.

Tecle aqui para ver foto da UR 318, efetivo, materiais e guarnição ( arquivo de 50 Kb, formato jpg).

8 - Outros Serviços de Bombeiro

Todas as ocorrências não citadas acima, onde não há gravidade, nem urgência no atendimento como lavagem de leito carroçavel (após acidente, derramamento de óleo etc), trocas de lâmpadas em prédios públicos, extinção/captura de insetos, captura de animais, corte de árvores e similares.

9 - Bombeiros Voluntários

Aproveitando o interesse de pessoas bem intencionadas, desejosas de colaborar para o bem comum, estão sendo formados grupos de Bombeiros Voluntários. Em São José do Rio Preto, desde 1989, foram formados 80 Bombeiros Voluntários, sendo que 30 estão ativos e concorrendo à escala de serviço nos Postos de Bombeiro da cidade. São homens e mulheres, maiores de 18 anos que receberam treinamento teórico-prático e atuam isolando os locais de sinistro, disciplinando os curiosos, armando materiais, auxiliando no abastecimento de viaturas, e até preparando alimentação.

10 - Programa Bombeiro nas Escolas

Neste trabalho, bombeiros especialmente treinados, participam do planejamento do ano letivo das escolas, onde são incluídas 18 horas-aula de noções de proteção contra incêndios e primeiros socorros. As aulas teórico-práticas são ministradas a alunos de oitavas séries, com emprego de material especializado, destacando-se a ressuscitação cárdio-pulmonar. Ao final existe uma avaliação escrita e visita ao quartel. Desde 1985, ano de sua criação, já participaram 26657 alunos.

11 - Análise de Processos de Proteção Contra Incêndios

Profissionais habilitados apresentam ao Corpo de Bombeiros e submetem à sua apreciação Processos Simplificados ou projetos constituídos por plantas-baixas, cortes e fachadas, com a descrição e locação dos sistemas de segurança.
As exigências básicas são as feitas pelo Decreto Estadual 38069, de 14 de dezembro de 1993, publicado no Diário Oficial do Estado em 15 de dezembro de 1993. O Decreto classifica os diferentes tipos de edificações e de acordo com a área construída, a altura e o risco (tipo de ocupação) determina os tipos de sistemas a serem projetados. Há uma descrição básica dos referidos sistemas, mas devem ser complementados pelas Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e Instituto Nacional de Metrologia e Qualidade Industrial (INMETRO). Normas estrangeiras de comprovada aceitação podem ser aceitas, se não houver norma brasileira a respeito.
A Prefeitura Municipal somente expede Alvará de Construção, Reforma, Ampliação, ou Alteração de Ocupação ou de razão social, após apresentação do Projeto Aprovado pelo Corpo de Bombeiros.

O Diário Oficial do Estado, na edição do dia 28 de março de 1997, publicou a Instrução Técnica do Corpo de Bombeiros 005-33-97. Houve significativas alterações, a saber:

  • o que era chamado "Projeto de Proteção Contra Incêndios" passou a ser denominado "Proposta de Proteção Contra Incêndios";
  • anteriormente o Projeto era aprovado; agora passa a ser apenas orientado pelo Corpo de Bombeiros;
  • as plantas e detalhes deverão constar em folhas A4, A3 ou no máximo em A2, para permitir digitalização e arquivo eletrônico;
  • os sistemas e equipamentos de proteção contra incêndios deverão ser apresentados em plantas mais simplificadas, denominadas "plantas de bombeiro" , contendo os elementos indispensáveis à análise dos riscos de incêndios e abandono; portanto foi alterado o padrão de apresentação tipo "Prefeitura" que era feito anteriormente;
  • houve um trabalho para a padronização de legendas, sendo utilizada uma que está sendo proposta em Norma Brasileira, é recomendado que os equipametos tenham cores diferentes (por exemplo a vermelha) ou sejam bem destacados das demais indicações gráficas;
  • foram suprimidos detalhes e exigências de "perspectiva isométrica da tubulação", caminhamento de redes de hidrantes e de chuveiros automáticos;
  • foi desenvolvido um jogo de memoriais que obrigatoriamente deverão ser preenchidos e apresentados; A contar de 2 abril a nova forma de apresentação passou a vigorar, sendo que a anterior será aceita até o dia 2 de julho.

    Os Núcleos de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros possuem a Instrução Técnica referida, as legendas e modelos explicativos para facilitar o entendimento e estão fazendo distribuição aos interessados.

    Este novo procedimento implantado tem como objetivo agilizar o andamento dos processos e destacar os pontos críticos das instalações com vistas ao conhecimento por parte do Corpo de Bombeiros para facilitar o combate aos incêndios; porém cabe ressaltar que o fato da não exigência de detalhes e de todos os elementos que as normas técnicas exigem não desobriga ou isenta o projetista ou o proprietário da instalação e conservação dos mesmos. Nas vistorias todos os itens das normas técnicas serão observados, como dissemos, mesmo não constando da Proposta apresentada ao Corpo de Bombeiros.

    Clique aqui para obter a < coletânea de normas do Corpo de Bombeiros > inclusive orientações sobre a nova sistemática, modelos a serem impressos e todas instruções técnicas publicadas (tamanho 1,2 Mb compactados que expandidos ocupam por volta de 3,0 Mb de informações.)

    Clique aqui para ver uma relação de erros mais frequentes em análises.

    12 - Normas mais utilizadas

    13 - Vistorias

    Nas vistorias, são verificados os locais tendo como base as Propostas de Proteção Contra Incêndios apresentadas pelos profissionais e principalmente a execução conforme as Normas Técnicas Oficiais. Como já foi afirmado ( em Análise de Processos de Proteção Contra Incêndios), mesmo não estando detalhado ou melhor esclarecido na Proposta apresentada ao Corpo de Bombeiros, as exigências das Normas Técnicas serão exigidas.

    Não sendo aprovada a vistoria, será emitido um relatório do que está irregular; na aprovação, será expedido o "Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros". Para locais de reunião pública, a validade do Auto é anual; para os demais, bi-anual. A Prefeitura Municipal expede o "Habite-se" e Alvará de Licença e Localização, somente após apresentação do Auto dentro do prazo de validade.

    Clique aqui para ver uma relação de erros mais frequentes em vistorias.

    14 - Fiscalização

    A partir de 1985, uma legislação municipal específica concedeu Poder de Polícia ao Corpo de Bombeiros para intimar, advertir e multar estabelecimentos irregulares. Foi constituída a Comissão Executiva de Segurança por um Oficial do Corpo de Bombeiros, um advogado do Departamento Jurídico e um Engenheiro da Secretaria de Obras do município para aprovarem e exigirem adaptação dos prédios antigos às atuais normas de segurança contra incêndios.

    15 - Atividades de Lazer e Integração com a Comunidade

    Anualmente, como parte das comemorações da "Semana do Bombeiro" é realizado um "Short Triatlon" com a participação de Bombeiros e integrantes da comunidade de ambos os sexos, desenvolvidas atividades como concursos de cartazes e campeonatos desportivos.

    No dia 04 de abril de 1998 foi realizado o "VI Short Triatlon" na Represa Municipal com organização da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Turismo da Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto, com colaboração do Corpo de Bombeiros. São 800 metros de natação, 20.000 metros de ciclismo e 5.000 metros de corrida (a pé). Participaram 73 atletas de vários municípios deste Estado (de São Paulo) e também do Estado de Minas Gerais, sendo campeão o jovem Eduardo Dias Bottino, com o tempo de 1 hora, 4 minutos e 46 segundos.

    O dia do Bombeiro Brasileiro é comemorado no dia 2 de Julho; o dia 10 de março é o dia da criação do Bombeiro no Estado de São Paulo.

    A semana que compreende o dia 2 de Julho é normalmente chamada de "Semana de Prevenção" e nela uma série de eventos como demonstrações, simulações, palestras e outros mais, é realizada nos munícipios onde há Postos de Bombeiro. Clique aqui para ver as atividades e os locais.

    Na semana do dia 12 de outubro é recebido um grande número de visitas de crianças, principalmente de pré-escolas, que conhecem o quartel, assistem a demonstrações e passeiam nas viaturas.

    16 - Organizações e Links relacionados

    17 - Estatisticas

    Clique aqui para ver Estatisticas dos Serviços de Bombeiro, na área atendida pelo 13º GI.

    18 - Em Emergências

    193 nos municípios de São José do Rio Preto, Mirassol, José Bonifácio, Catanduva, Olimpia, Fernandópolis, Votuporanga, Jales
    (017) 233-6200 (fone) Sede do 13º GI, em São José do Rio Preto
    (017) 233-6407 (fone/fax/modem) Sede do 13º GI, em São José do Rio Preto
    (017) 233-9666 (fone/fax) Sede do 1ºSGI/ 13ºGI, de São José do Rio Preto
    190 nos demais municípios onde não há Postos de Bombeiro

    19 - Mensagens

    20 - Elaboração de Normas e Instruções Técnicas

    Está em ampla discussão a IT CB Nº 02/33/94 - Proteção Contra Incêndio para Estruturas Metálicas e gostaríamos de receber informações técnicas, sugestões e comentários para o seu aperfeiçoamento.

    Tendo em vista o número crescente de edificações utilizando estruturas de madeira e coberturas de fibras combustíveis como sapé e piaçava, estamos pesquisando a respeito e sua participação também é importante.

    21 -- Consultas, sugestões, denúncias

    Para informações, consultas técnicas, denúncias de irregularidades em aspectos de proteção contra incêndios, sugestões para melhoria desta página ou sobre serviços que pudermos prestar para o benefício da comunidade, preencha o formulário, que teremos prazer em atendê-lo.